Noturnolandia
BRASIL, Mulher
border=0
 
   Arquivos

 
border=0
Outros sites

 Aventuras do Marcos
 Anonimo_Incognito
 Blogoides
 Boboletras
 Caldeirão do Mago
 Carpe Diem
 Futilidades & cia
 Leis de Murphy
 Lu olhos de mar
 Luz de Luma
 Moarcir Caetano
 No Congelador
 O Passaro Raro
 O Incrível mundo da derivadalândia
 Pensamentos Inacabados
 Rei Tan
 Sobrevivente
 Shopping de Comunicação




border=0
 


Holanda!

Finalmente cheguei.

Saí de casa as 7h da manhã, para chegar no aeroporto as 8h e sair no vôo da 9h para salvador. O avião atrasou e eu só deixei a cidade carioca as 10h30. Mal sabia eu que este atraso era um indício de como o resto da viagem seria...

Cheguei em Salvador e fui logo fazer o check-in da Con-DOR porque queria ficar em uma janela (para escolher o lugar antes do check in teria de pagar 50 reais) e aí descubro que eles não tem um balcãozinho e só abre algumas horas do vôo. Fui comer alguma coisa e acampar na fila. Consegui uma janela e fui passear e fazer hora até 4h que era o horário de ir ter as malas fiscalizadas e embarcar.

Uma fila enorme na alfandega, dois vôos internarcionais saindo na mesma hora, apenas duas maquinas de raio X e velocidade de atendimento tipicamente baiana. Fui parada por causa dos liquidos. O cara queria pegar o meu negócinho da lente porque tinha 120 ml. Eu argumentei que não existia isto de 100ml e enchi tanto o saco do cara que ele me liberou.

O avião era pra ter saído as 5h mas atrasou porque estava esperando passageiros que ainda não tinham embarcado. Chego no meu lugar e dou de cara com um senhor SUPER gordo ocupando o lugar dele e metade do meu. iei... Nove horas de vôo espremida. E para ajudar a situação as crianças faziam revezamento de choro. Não dormi quase nada.

Cheguei em Frankfurt bem mais pra lá do que pra cá, doida pra pegar o avião e ir pra casa do Marcos dormir. Mas óbvio que não seria tão simples. Eu passei tranquilo pela imigração, mas assim que viram meu passaporte verdinho de brasileira ganhei uma atenção especial na alfandega e passaram a maquininha de raio x em mim pra ver se não estava com nada ilegal... Quando eu achei que meu sofrimento estava acabando informam que o nosso avião estava com problemas, mas estava sendo consertado. Depois de 1h de espera informam que o avião não tinha conserto e que iamos mudar de avião.

O avião aterrisou em Amsterdã as 2h e pouca e fui pegar o trem. Me falaram que o trem para Arnhem saía as 2h29, que eu tinha 4 minutos. Saí correndo para estação desesperada. Cheguei na plataforma e tinha um trem lá com uma funcionária berrando que já ia sair. Tivemos o maravilhoso diálogo:

eu: - Este é o trem para Arhem?

ela: - Para onde?

eu: ArrrrrrNhem

ela: Onde?

eu: Arrrr Nnnnnnnnn hemmmm

ela: onde?

pego o papel com a passagem. Ela olha e diz: - Ah, Arhem!

aí olha pra minha cara e como quem diz brasileira estupida fala: - Não este é o trem de 2h27 o pra Arhem é de 2h29!!!

Como se fosse a coisa mais óbvia do mundo e irritadissima comigo por estar atrasando o trem dela...

Peguei o próximo trem. Marcos me pegou na estação e capotei.

Fotos aqui: http://www.facebook.com/media/set/?set=a.2350711413246.2137497.1413945843&type=1

Mais informações no blog do Marcos



Escrito por Pati às 13h39
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






off

Quem acompanha este blog sabe que tenho momentos em que posto quase todos os dias e momentos em que as postagens são muito raras. É que não quero transformar em um blog diário então o "Noturnolandia" acabou se transformando em diário de viagem. Como não tenho viajado, não temos tido posts. Quem se sentiu "orfão" eu recomendo que acompanhem o blog do meu irmão, que escreve muito bem e está com o blog ativo. Quando tiver mais novidades eu volto a postar aqui.



Escrito por Pati às 00h22
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Ultimo dia - dia 34

Aproveitei a manhã do meu ultimo dia livre em Lima para ir nas artesanias, pois precisava trocar um cachecol que comprei e que veio com defeito. Acabei aproveitando e dei um senhor passeio por lá e comprei mais algumas coisas. Saindo das Artesanias fui ver a exposição que falei ontem aqui no blog. O problema é que as artesanias ficam em uma ponta e a galeria de arte na outra. Andei um montão, mas acabou valendo a pena. Gostei mais do que a exposição de batatas e cores que eu tinha visto na municipalidade de Miraflores. Na volta pra casa eu estava morta de tanto andar e de fome, então parei pra comer algo e descansar as pernas. De tarde fiquei morgada em casa me recuperando. De noite eu e Tio Luis fomos no Wong (pra variar) e depois fomos todos ao boliche. Me diverti um montão!

Quero aproveitar o post para agradecer muito aos meus tios e meu primo. Desde o primeiro dia eu fui muito bem recebida e acolhida. E isto se podia perceber nos mínimos detalhes, como a toalha que tia Monica separou pra mim, a touca, ter lembrado o sabonete que eu gosto... Ela foi super gentil. E o tio Luis também que inclusive tirou férias e graças a ele eu conheço um pouquinho mais Lima e a história daqui. Ele é um guia muito bom e esforçado. E o Bruno é meu primo lindo que infelizmente eu vejo muito pouco. Um obrigada também pra Doris, a empregada da tia Mônica que na primeira semana teve medo de mim, mas quando viu que eu não mordia (sou louca mansa) passou a falar comigo e hoje quando eu disse que ia embora ela me disse sem ironia nenhuma  - "Mas já?" (rs). E já que é pra agradecer não posso não falar na Suzana, avó do Bruno,super gente boa, adoro conversar com ela e graças a Suzana gastamos muito pouco nas artesanias. Ninguém negocia como ela!

Adoro todos aqui de coração e vou sentir muitas saudades.

Aproveitando o post 2 - Parabéns Marquinhos!!! Vinte dois aninhos!!! Tudo de bom pra você!



Escrito por Pati às 02h24
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






dias 32 e 33

Ontem eu e tia Li ficamos em casa porque era o dia da mamãe ir ao congresso. Hoje pra compensar fizemos um montão de coisas. De manhã fomos ao centro, tia Mônica e mamãe foram a catedral, mas eu e Tia Li nos recusamos. Eu porque tenho alergia e tia Li por principios se recusa a pagar 10 soles (ou qualquer quantia) para entrar em uma igreja. Eu acho que tia Li está absolutamente certa. Aproveitamos o tempo em que elas estavam na igreja para passear pelas artesanias lá perto. Depois elas foram conhecer as catacumbas que como eu já conhecia e não estava afim de dar um outro oi pros cranicolas da vida fui conhecer sozinha as artesanias do centro e achei um mercado bem bonitinho. Saímos do centro e fomos almoçar em um restaurante italiano bem gostoso. Visitamos a huaca de MiraFlores onde tinhamos uma guia saltitante que nos deu um super tour, saímos um pouco cansadas e fomos a um buffet de lanches em larcomar! Foi bonzaço e comemos um montão. Fizemos um pitstop em casa onde trocamos a Tia Mônica que ia trabalhar pela Suzana e fomos para as artesanias de Miraflores. A Suzana conseguia baixar os preços quase pela metade. Ela é impressionante! Voltamos conversando com ela e a levamos até em casa.

Hoje peguei o anuncio de uma exposição que tem aqui perto e acho que amanhã eu vou. Aqui em baixo tem um dos quadros.

Te levo em meu universo...



Escrito por Pati às 01h19
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Dias 29, 30 e 31

Anteontem não fiz muita coisa, fiquei em casa e de noite fui com o Bruno e o Tio Luis para o aniversário de um primo dele. Ontem chegaram a minha mãe e minha tia Marceli e saímos para almoçar fora. Comemos num restaurante muito gostoso, só que eu não me toquei que o meu prato era feito de carne de porco e como eu tenho alergia a isto passei muito mal o resto do dia. Por isto também que não postei ontem. Mas agora já estou bem melhor, então não se preocupem.

Hoje nós ainda não fizemos nada, mas devemos ir passear na Huaca e lanchar em um restaurante em Larcomar que tem buffet de lanches. Espero não passar mal hoje também...



Escrito por Pati às 11h52
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Dia 27 e 28

Ontem fui conhecer o mercado de Lima. Tia Monica estava quase dormindo quando saí e tivemos o seguinte diálogo:

- Tia estou indo ao Mercado

- Uhum...Tá bom Pati...

- Tia... Não é o supermercado e sim o Mercado

- E O QUE VOCÊ VAI FAZER LÁ???

E assim saí eu já não esperando muita coisa do Mercado, apesar do Tio Luis ter me recomendado ir pra lá. O local parece uma mistura do Mercadão de Madureira antes do incendio com uma feira de rua (destas que vendem peixe, porco, etc..). Não consegui ter coragem de comprar nada lá apesar do preço ser animador. De noite eu e Tio Luis fomos na casa da Suzana e ela tirou o meu chacra, acabou que eu estou toda errada e o pendulo que deveria rodar no sentido horário e só rodou no anti-horário. Minha desculpa é porque não estou no meu fuso ou país então por isto meu corpo não está girando pro local certo.

Hoje eu saí com a Mizti e com o Joshua, os dois são amigos do Tio Luís e a Mitzi já passou um final de semana no Brasil e o Marquinhos serviu de guia para ela. Saímos de tarde e fomos ao museu de Antropologia onde eu paguei 3 soles porque sou estudante e eles 11,50. Depois fomos almoçar (umas 3h da tarde) e pra variar comi Lomo Salteado. Saímos de lá correndo porque a Mitzi tinha ingreços para um concerto instrumental. Passamos antes no supermercado para comprar sobremesa (Tres leches pra variar também..). Eu gostei da parte que estava acordada do concerto, porque depois de andar muito, comer um montão eu sentei e ouvi aquela música e meus olhos se fecharam quase que automaticamente. No intervalo para a segunda parte eu tomei coca-cola pra ficar acordada e gostei bastante do que vi. Agora estamos em casa e a tia Monica fez pão de queijo.



Escrito por Pati às 23h27
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Dia 25 e 26

Ontem eu sai de casa (ohhhh!) e fui a uma galeria que tem na municipalidade de Miraflores, aqui pertinho. Estava tendo uma exposição sobre batatas e cores. Um artista peruano orgulhoso da imensa variedade de batatas resolveu pintá-las em quadros. Ele pinta bem, mas são batatas.... Váaaaaaaaaaaarios quadros de batatas! Sacos de batatas! Batatas amontoadas, escultura de batata, além de umas batatas espalhadas pelo chão com uma plaquinha indicativa de que tipo eram. Só não tinha o meu tipo favorito que são fritas!

Quando saí da galeria fui nas informações turísticas e perguntei sobre os museus que tinham nos arredores. Primeiro as pessoas da informações me olharam estranho e me perguntaram se eu queria ir a museus. Não estou perguntando sobre os museus porque quero ir pra parques de diversões... Depois passaram um tempo procurando um mapinha e me indicaram o museu Amano. No mapa o museu ficava a duas quadras das informações turísticas e a entrada era gratuita. Acabou que o mapa não era exato e o museu ficava na pqp virando a esquerda. Andei mais de uma hora pra chegar lá e quando eu cheguei uma japa-peruana veio me dizer que o museu só atendia pessoas com hora marcada e que eu tinha de ligar com pelo menos um dia de antecedencia. Aí desisti e voltei meio frustrada pra casa.

O cardápio daqui ontem foi totalmente infantil. Tivemos de almoço hamburguer, de lanche pipoca e de janta pizzas. Acabou que pedimos pizzas de mais e o meu café da manhã/almoço/lanche também foi pizza. E a janta só não foi pizza porque a Suzana (avó de Bruno) fez aniversário hoje e comemorou no Mc Donalds. Então minha janta foi chedar. Saudável não? Para defesa dos meus tios hoje além da opção de sobras de pizza poderia comer guisado vegetariano e batatas fritas. Por algum motivo desconhecido preferi as pizzas...



Escrito por Pati às 23h28
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Casa! - dia 24

 

Passei o dia inteiro de bobeira em casa de novo. A foto é da intimidade do Bruno com o cavalo em Arequipa.



Escrito por Pati às 23h42
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Arequipa dia 3 - Peru dias 22 e 23

Ontem em Arequipa fizemos muito poucas coisas pois a cidade toda fecha aos domingos. Visitamos as igrejas, um museu e vimos o artesanato local. Os amigos do tio Luis nos deram uns passaportes de Arequipa. O que significa que Arequipa não é como o Rio de Janeiro e sim como o Rio Grande do Sul onde se vê carros com adesivos escrito "meu país é o sul". Chegamos em casa cansados e por isto não postei. 

Hoje o Bruno foi pro colégio bem cedo e eu passei o dia inteiro feliz de bobeira em casa. A parte boa de estar de férias é poder se dar ao luxo de passar um dia sem fazer absolutamente nada. ^-^                                                



Escrito por Pati às 23h39
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Arequipa dia 2 - Peru dia 21

Estou cansada entao o post vai ser rápido. O teclado é horrivel e por isto os posts de arequipa e cuzco nao tem acentos.

Hoje fizemos um passeio num onibus de dois andares e conhecemos os principais pontos turisticos de dentro da cidade. Foi bem divertido, na ultima parada eu e Bruni andamos de cavalo. No início o Bruno tava morrendo de medo, mas depois adorou. Chegamos na cidade fomos almocar com uns amigos do Tio Luis que tinhamos saído ontem a noite. Eu comi um prato com carne de Alpaca. Tinha gosto de carne normal. Alpaca é tipo uma ovelha super desenvolvida que mora nos andes. Depois andamos pela cidade fomos pra artesanias e entramos em algumas igrejas. Compramos umas tres leches e comemos no terraco daqui do hotel de baixo de uma lua cheia linda.

Tia Monica pediu pra corrigir que pegamos o voo saindo as 3 da madrugada de Lima por livre escolha dela e sem relacao com o preco, aparentemente custava o mesmo que um voo saindo em um horário mais humano.



Escrito por Pati às 23h06
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Arequipa dia 1 - Peru dia 20

Estou em Arequipa! Saímos de Lima as 3h da madrugada (era o voo mais barato) e chegamos aqui em uma hora indefinida e um frio de 10 graus.  Viemos para o hotel e como nao tinham quartos disponiveis ( o cheking era 2h da tarde) ficamos de bobeira na internet. Quando deu uma hora decente caminhamos ate a praca de armas e visitamos a catedral. Na volta passamos numa padaria onde eu comi um folheado de doce de leite bem gostoso e o Bruno pediu uns paezinhos que tinham acabado de sair do forno e que todos atacamos (coitado!). Depois da padaria voltamos pro hotel e demos sorte que tinham quartos vagos.

Dormimos um montao e quando acordamos fomos para o restaurante do nosso hotel. Chegamos no restaurante e descobrimos que eles tinham uns cinco pratos no menu . Nao que isto me fizesse muita diferenca pois tinham Lomo Saltado que é o que eu queria. Mas aí o hotel se ofereceu para nos levar para o irmao rico do nosso hotel ( 5 estrelas, o nosso tem 3) para comermos lá. O hotel era lindo, uma antiga casa da moeda e a decoracao era o que eles chamam de andina, que me lembra muito o barroco brasileiro. Acho que sao contemporaneos. A comida estava boa, mas confundiram o prato do Bruno e ao invés de levarem o infantil lhe deram o de adultos. Para compensar o erro deram ofereceram um sorvete de morango com tomate que apesar de parecer muito estranho a primeira vista é delicioso.

Estando bem alimentados visitamos um monastério que parecia uma pequena cidade. As freiras que moram lá até hoje nao tem contato com o mundo exterior. Vimos as casinhas onde elas ficavam antigamente e as igrejas.  Nossa guia disse que elas tinham um colégio onde entravam com 5 anos de idade e aprendiam a costurar, bordar, rezar... e ficavam lá até os 12 quando as famílias as tiravam para se casar.  Segundo a guia normalmente com homens de 35 até 45 anos e era escolhido quem pagasse o maior dote. A opcao para estas meninas era se casar com alguém muito mais velho do que elas ou passar a vida toda em um local presas sem contato com o mundo. Nao sei o que eu escolheria...

Passeamos por arequipa quando saímos do convento. É uma cidade muito bonita e tem uma luz maravilhosa. Acho que a vantagem de Arequipa sobre Lima é que aqui eles tem sol, chuva, neve... enquanto Lima no inverno fica cinzenta. Alias existe uma rivalidade bem forte entre Arequipa e Lima,  algo tipo Rio e Sao Pauo. No caso acho que Lima seria Sao Paulo, porque é maior, tem mais comercio e é cinza enquanto Arequipa seria o Rio, famosa por ser uma das cidades mais bonitas do Peru e com um sol delicioso. Amanha devo conhecer as montanhas que sao absolutamente lindas! Ainda mais que estao nevadas!!! ^-^



Escrito por Pati às 20h33
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Lima - 18 e 19

Ontem não teve post porque eu estava sentindo as consequencias de todas as besteiras que comi e não estavas em condições de escrever. Hoje eu já estava melhor e fui para uma festa de aniversário de uma amiguinha do Bruno no Bembos (bobs peruano). Fomos eu, Bruno e Doris (moça que trabalha aqui). O Bruno se divertiu, eu e Doris nem tanto. A Doris é hipertímida e demorou quase uma semana para falar coisas básicas comigo. Lá no Bembos ela entrou muda e saiu calada. A avó de um amiguinho do Bruno que ficou conversando comigo, na verdade ela falando e eu ouvindo porque a mulher não parava de falar um segundo. O que deve ser de família porque o neto dela é super agitado também. O que tem de diferente das festas no Brasil é que a comida é só para as crianças, se os adultos quiserem comer algo eles tem que sair do salão de festas e comprar algo. E o Bembos é super caro! Mas caro do que o Mc donalds! Um combo do Bembos custa quase o dobro do combo do Mc Donalds. Mas para compensar vem um montão de comida e é bem gostosa também.

Amanhã vamos todos pra Arequipa, se eu conseguir posto aqui.



Escrito por Pati às 23h55
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Machu Picchu - dia 17

Ontem visitei a cidade perdida dos Incas e adorei! Machu Picchu é absurdamente linda e fica longe de tudo. Para chegar lá eu passei 4 horas em um trem até chegar em Machu Picchu pueblo e depois mais meia hora de onibus até as ruínas. Do povoado nao se ve nem sombra da cidade perdida.  O local é muito alto e tem várias escadas, a cada lance eu parava para respirar.O chato foi que tinha deixado meu passaporte no hotel ( ñ acho seguro andar com ele por aí) e lá em cima de Machu Picchu eles carimbam o seu passaporte com uma estampa bem bonita e a data. Eu carimbei minha passagem de aviao. Vou ter que voltar outro dia para colocar a estampa que eu tenho direito.

Achei um montao de brasileiros ontem. Na saida da estaçao encontrei 3 gauchos que foram de caminhao com o carro na caçamba até o Acre e de lá vieram de carro para Cuzco. No trem conheci duas mineiras e como elas já tinham contratado guia me falaram para ir com elas e assim eu economizei o dinheiro do Guia. Na decida eu encontrei dois meninos de Sao Paulo e no onibus de volta a Cuzco (a estaçao de trem nao fica na cidade) conheci um casal de cariocas e um casal de paulistas. Tinhamos combinado de sair de noite, mas eu estava tao cansada que só comprei um hamburguer no Mc Donalds (outro ponto de encontro de brasileiros por ser barato) e vim direto pro hotel.

O Tio Luis me emprestou a maquina analógica dele, entao eu tenho 35 fotos de cuzco e de Machu Picchu. É complicado lidar com este tipo de maquina, eu estava no início "economizando" fotos com medo de depois ficar sem e aí hoje eu ainda tinha umas 10 fotos sobrando e fui tirando foto de tudo, para poder revelar aqui na cidade. Estava com medo de que passando pelo raio x a película fosse queimar. Algumas fotos ficaram boas e outras nem tanto, mas ao menos tenho algo. ^-^



Escrito por Pati às 16h25
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Cuzco dia 1 e 2 - dia 16 no Peru

Ontem saí de Lima muito cedo e cheguei aqui em Cuzco as 9h da manha. Nao senti a altura, mas a mulher ao meu lado do aviao sentiu por mim e vomitou durante a aterrisagem. Uma ótima forma de se chegar a uma cidade nao?

No aviao descobri atraves de um folheto que a Tia Monica me deu que ontem era o dia onde era realizada a cerimonia de Pachamama. Nas informaçoes turisticas descobri que também era o primeiro dia do calendario inca e que a cerimonia de Pachamama começava as 10. Peguei um taxi para o hotel onde deixei minhas coisas e me informei como chegar ao local. A mulher da recepçao me disse para ir andando que era uns vinte minutos. Levei no minimo meia hora e parava a cada 10 metros para descansar.

Quando cheguei no local que a moça da recepçao me havia indicado descobri que a cerimonia era realizada proximo do templo da Lua e que este ficava há mais de uma hora de distancia, mas que alugavam cavalos. Foi uma cavalgada de 40 minutos até o templo da Lua e lá tem que se deixar os cavalos em sinal de respeito. Do templo da lua até lá é mais 15 minutos a pé. Uma moradora de Cuzco (Maria Antonieta) que estava no templo da Lua com o filho de 2 anos e meio me acompanhou até a cerimonia e foi me explicando o significado das coisas.

Chegamos na cerimonia depois do meio-dia e o negócio parecia meio um canomblé inca. Os espanhois obrigaram eles a serem católicos entao eles fizeram que nem os escravos brasileiros e misturaram as duas. Ontem se fazia o pago da terra porque segundo a Maria Antonieta é o dia em que a terra está mais aberta a aceotar estas coisas. Tinha um buraco de terra onde a gente ofertava tres folhas de coca, segundo a Maria uma para o Pai, outra para o filho e uma para o espirito santo. Cada folha também nos dava direito a um pedido. A Maria tambèm me fez colocar no buraco o primeiro pedaço do meu chocolate, aparentemente a deusa terra gosta de doces e se voce vai comer algo tem que ofertar primeiro a ela.

As pessoas faziam um circulo em volta do buraco, onde tinha tambem um foguinho e acho que também queimaram as folhas de coca. Junto do buraco tinha um sacerdote que falava na lingua indigena daqui e depois traduzia para o espanho e nós tinhamos de repetir o que ele dizia. Quando todos presentes terminaram de oferta ele jogou mais coisa no buraco, bebidas, coca-cola e umas oferendas nao identificadas. No fim taparam o buraco e fizeram uma grande fogueira. Neste momento começaram a jogar um confete amarelo na fogueira e depois na gente que segundo a Maria serve de alimento espiritual e que todos os espiritos das coisas estavam presentes no local.  O sacerdote entao mandou todos se abraçarem e comemorarem o ano novo e aí distribuiu uma fitinha amarela como do Senhor do Bonfim para colocarmos nos nossos pulsos.

Durante a cerimonia, quando as pessoas estavam em volta do buraco um dos ajudantes do sacedote passava com Pisco (um destilado peruano) e nos oferecia (ñ se podia recusar). Me lembrou muito uma roda de chimarrao gaucha onde a cuia passa de mao em mao. Também fizeram batatas assadas em um fogo de chao. Maria disse que era uma forma de compartilharmos um alimento com a Deusa Terra. Nos deram um queijinho para acompanhar.

Maria Antonieta me acompanhou na volta para a cidade o que foi ótimo pois eu estava totalmente perdida. Ela me deu umas folhas de coca para mascar porque achou que eu estava passando mal da altitude. Quando cheguei no hotel eu estava em outra dimençao de tao cansada que estava, vim aqui so para falar que estava viva e dormi das 6 da noite ate as 6 da manha do dia seguinte.

Hoje eu fiz um passeio ao Vale sagrado, que era como os incas chamavam os arredores de cuzco porque era uma área fertil e por isto cultivavam lá a maior parte dos seus alimentos. Os locais sao lindos e fiz um monte de amizades. No onibus tinha uma francesa filha de portugueses e que mora no méxico que conversou um bom tempo comigo pois estava com saudades de falar Portugues (a lingua que os pais dela falam com ela). Fiquei amiga também de tres colombianas e de noite fomos junto com um frances e um peruano comer uma pizza e tomar Pisco Souer. Amanha vou a Machu Picho. Se chegar bem posto logo aqui.



Escrito por Pati às 22h44
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Cuzco - dia 15

Estou bem, viva, mas muito cansada. Amanha dou noticias.



Escrito por Pati às 19h56
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
border=0